Terça, 25 de Janeiro de 2022
Direito & Justiça

Crime

Casal é preso suspeito de clonar mais de 50 mil cartões

Investigação aponta que o homem é o 2º colocado no ranking nacional de criminosos que se dedicam a revelar dados de cartões clonados

Foto: Divulgação/Polícia Civil
post
Polícia apreendeu veículos de casal suspeito de clonagem de cartões em Goianira, Goiás

17 dezembro, 2021

Um casal foi preso suspeito de clonar mais de 50 mil cartões e ostentar vida de luxo em Goianira, na Região Metropolitana de Goiânia. A polícia aponta que o homem, de 24 anos, e a mulher, de 23, fizeram até bolo de aniversário com cartões de crédito "black" na decoração e praticavam o crime desde 2017.“Eles conseguiram angariar um patrimônio muito grande, de imóveis, veículos de luxo, e ostentavam uma vida de muito luxo, bancada com dinheiro vindo do crime”, explica a delegada Sabrina Leles. Por não terem a identidade divulgada, o g1 não conseguiu contato com a defesa dos   suspeitos. A prisão foi feita na sexta-feira (17/12) e a polícia apreendeu dezenas de aparelhos celulares, computadores, veículos e até uma motonáutica. A investigação aponta que o homem preso usava o nome de “Vellasc Silva” na internet, e era o segundo colocado no ranking nacional de criminosos que se dedicam a revelar dados de cartões de crédito clonados. A delegada explica que o suspeito vendia as listas com os cartões e também “doava” os números pela internet. “Se por um lado tem ele que vende, tem outras pessoas que são tão criminosas quanto que compram essas listas para poder realizar compras na internet e comercializar esses objetos depois”, aponta Sabrina. A investigação indicou que a mulher presa era uma das pessoas que revendia produtos comprados com cartões clonados. “Além de auxiliar o marido nas práticas criminosas, possuía a responsabilidade de comercializar virtualmente, através de um perfil em rede social, diversos aparelhos eletrônicos e smartphones, que eram obtidos com o lucro daquelas práticas criminosas”, descreve a polícia. O nome da operação, “Black Cake”, foi dado por causa da imagem do bolo de aniversário que chamou a atenção dos investigadores. Os suspeitos estão presos.