Terça, 25 de Janeiro de 2022
Geral

Democracia

'Barraca da democracia' vende camisas de Lula, Bolsonaro, Ciro, Dória e Moro

Ambulante José Costa montou sua venda no Catete com opções para agradar a todas as orientações políticas – só não quer saber de confusão

Foto: Elisa Soupin
post
Placa pede respeito a todas as orientações políticas

07 dezembro, 2021

Em meio a camelôs que vendiam esponjas, esfirras e bebidas na Rua do Catete, Zona Sul do Rio, na manhã de terça-feira (7/12), um ambulante exibia a mensagem: "Barraca da democracia. Sem K. O [caô], por favor". Trata-se de José Costa, de 59 anos, que vende camisas dos prováveis candidatos à Presidência da República Lula, Bolsonaro, Ciro, Dória e Moro. Aceita todas as orientações políticas – só não quer confusão. Ao longo de sua vida como camelô, que começou em 1985, já vendeu milho na praia, cerveja, fantasia, bebidas, artigos de time, mas nenhum outro item nunca tinha causado tanta discórdia quanto as camisas de políticos que começou a vender este ano, antes das manifestações de 7 de setembro. "O pessoal começou a me perguntar se eu ia vender bandeira, aí trouxe bandeira e camisa para a manifestação, mas só do Bolsonaro. Teve muito xingamento, muita controvérsia. Veio a ideia de colocar camiseta do Lula e a placa também", diz seu JoséOs outros candidatos na disputa viraram camiseta depois, para deixar a barraca totalmente democrática, diz José: "Pô, pediram muito a camiseta do Moro, mas tá fraco, não tá saindo não. O Ciro nem se fala, o Dória piorou", lamenta ele, que afirma que a polarização está Bolsonaro e Lula. A camisa do petista, aliás, mostra uma versão bem mais jovem do ex-presidente, com a aparência que ele tinha na primeira vez que foi eleito, em 2002. Em um dia de semana, o ambulante vende uma média de 4 camisas, que custam R$ 25. No fim de semana, o número sobe para 20. Se houver alguma manifestação política, as vendas disparam e chegam a 40 unidades. Quem passa por ali, olha, manifesta sua preferência política com uma ou outra frase, mas, desde a "democratização", não houve mais confusão. "Se começam a falar muito de outro candidato, eu falo: ó, escolhe o seu e tchau, sem caô", diz. Enquanto o ambulante vende as camisas, o tempo ameaça virar na cidade e um céu escuro antecipa a chuva que está se formando, mas José também já se antecipou. "Eu trouxe guarda-chuva aqui pra vender", diz.