Segunda, 04 de Julho de 2022
Estado

Monitoramento

Em Goiás, a secretaria de saúde monitora caso suspeito de hepatite grave

Paciente é uma menina de 2 anos, que mora em Aparecida de Goiânia. Ela está internada na capital e tem estado de saúde regular, ou seja, está bem, segundo a pasta

Foto: Divulgação
post
Hepatite é uma doença que afeta o funcionamento do fígado

19 maio, 2022

A Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) informou nesta quinta-feira (19/5) que monitora um caso suspeito de hepatite grave de causa desconhecida em uma menina de 2 anos, moradora de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Ela está internada em Goiânia. A pasta recebeu a notificação no último sábado (14/5). A Superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim, contou que a criança está internada em um hospital e apresenta, até o momento, estado de saúde regular, ou seja, ela está bem. “Temos um caso suspeito de hepatite grave de causa desconhecida, que é a mesma registrada em todo o mundo. Estamos monitorando os exames realizados e aguardando o resultado de alguns deles para saber o agente causador da doença”, esclareceu Flúvia. A superintendente disse que existem três classificações para este tipo de hepatite: suspeito, provável ou descartado. Somente exames laboratoriais podem confirmar a classificação da doença. Se o caso for considerado provável, Flúvia Amorim explicou que será preciso aguardar mais exames para saber qual agente causou a doença. “Primeiro se descarta a causa, como viral ou bacteriana. Se todos [exames] forem negativo, vamos tentar identificar qual é o agente causador da infecção por meio de exames mais complexos”, disse Amorim. Alguns países, entre eles o Reino Unido, por exemplo, acharam o adenovírus e o sars-cov como agentes causadores deste tipo de hepatite, conforme explicou a superintendente.

Casos no mundo
No dia 5 de abril deste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) foi informada pela primeira vez sobre 10 casos de hepatite aguda grave de causa desconhecida em crianças pequenas, sem doenças prévias. Os primeiros casos foram identificados na Escócia. Já nesta semana, a OMS informou que cerca de 350 casos prováveis de hepatite de origem misteriosa foram registrados em 20 países. Segundo a organização, foram notificados casos em 20 países, com 70 casos adicionais de outros 13 países que estão pendentes de classificação, à espera da conclusão dos testes. "Há muitas incertezas sobre os casos. Há relatos em vários países e o que temos vistos são casos em crianças abaixo de cinco anos, a maioria saudável. Os primeiros sintomas são: dor abdominal, náuseas, vômitos, diarreia. Esses sintomas podem evoluir para o quadro clássico de hepatite: icterícia, urina mais escura, fezes claras", esclareceu o infectologista e pediatra Marco Aurélio Sáfadi no podcast do Bem Estar. "A vacinação contra a Covid-19 não é a causa" da doença, afirmou Jay Butler, subdiretor do departamento de doenças infecciosas dos Centros para Prevenção e Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês), contrariando rumores que circulam na internet. No entanto, não foi descartada como possível causa a infecção por Covid-19.