Quinta, 25 de Fevereiro de 2021
Entrevista

Opinião

FH defende ‘paciência histórica’ com Bolsonaro

Entrevista com o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso

Foto: O GLOBO
post
Ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso

03 março, 2020

p/ Manoel Ventura

BRASÍLIA (DF) - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse ser difícil de controlar impulsos no cargo de presidente da República, mas defendeu o respeito entre os Poderes e às instituições. Ele comentou, nesta segunda-feira, o vídeo divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro em uma rede social, na semana passada, com chamado para uma manifestação com críticas ao Congresso Nacional. E disse ser necessário ter “paciência histórica” com Bolsonaro.

— Eu fui presidente. Eu sei dos impulsos que você tem na Presidência. Você se irrita, muitas vezes, é difícil se autocontrolar. Acho que todo presidente apela ao povo. Pode apelar, falar com o povo, explicar ao povo. Mas não deve dar o sentido de “Olha, ou vocês vêm pra rua, ou…”. Não. Eu espero que as instituições sejam realmente consolidadas — disse o ex-presidente, em entrevista à GloboNews.

Para FH, o Poder Executivo sempre foi forte no Brasil, mas ele contrapesos. O ex-presidente disse ser preciso ter “paciência histórica” com Bolsonaro:

— Ele é presidente da República. Tem que ter paciência histórica.

Fernando Henrique afirmou que não há motivos para impeachment.

— Eu participei de impeachments. Eu sempre fui relutante. No tempo do Collor (ex-presidente Fernando Collor, que sofreu impeachment em 1992), eu fui relutante, Ulysses Guimarães também foi relutante. Porque temos medo das consequências institucionais. Existe impeachment quando tem o povo contra, quando o governo para de governador e quando quem está no governo incorre contra a constituição. Não acho que seja o caso — considerou.

Ao comentar a relação com a oposição, FH disse ser necessário gestos para diminuir o sentimento de agressividade:

— O ódio é erro sempre. Na vida política democrática, você deve discordar, ter o direito de discordar. Sobretudo quem tem o poder, não pode querer esmagar a opinião do outro.

Fonte: O GLOBO  / GloboNews / Poptvnews